Now Reading:
A lista da ‘Deltaduto’

Com os R$ 26 milhões repassados pela sede nacional da Delta Construções à empresa fantasma Alberto & Pantoja, o contraventor Carlinhos Cachoeira financiou, com grandes valores, pelo menos 29 empresas e pessoas.

A coluna teve acesso à lista do ‘Deltaduto’, com os maiores beneficiados (veja abaixo) , através de levantamento no inquérito da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal.  Os R$ 26.250.152 foram repassados por duas contas da Delta em bancos no Centro do Rio, próximos à sede da construtora. Uma da agência 3369 do Bradesco, na Av. Rio Branco, nº 116. Outra da agência 240 do HSBC, na Rua da Assembléia, nº 66.

No cruzamento de dados, fica evidente a triangulação do dinheiro para financiamento de campanhas de três políticos de Goiás em 2010, como já é notório. A Midway Internacional Lab, que recebeu R$ 150 mil de Cachoeira, aparece como doadora de R$ 300 mil na campanha do deputado federal Sandes Junior (PP-GO) – em dois depósitos de R$ 150 mil.

O Auto Posto T 10 de Goiânia, beneficiário de R$ 98.720 da mesma conta da Alberto & Pantoja, repassou R$ 32.620,82 para o candidato a senador Demóstenes Torres. Já a Rio Vermelho Distribuidora Ltda recebeu R$ 60 mil. Ela surge na lista de doadores do governador Marconi Perillo (PSDB) com repasse de R$ 450 mil ao então candidato, com depósito em cheque.

Exceção à lista política, o escritório Morais Castilho e Brindeiro, do ex-procurador geral da República Geraldo Brindeiro, surge na lista como beneficiário de R$ 160 mil.

Geovani Pereira da Silva, o contador de Cachoeira, que está desaparecido, recebeu do chefe repasses de R$ 7.482.000 em sua conta. Dinheiro foi confiado a ele, como guardião, pelo chefe da quadrilha.

A coluna pesquisou todos os nomes dessa lista no portal do TSE, na lista de doações de campanhas para outros políticos envolvidos direta ou indiretamente com Cachoeira, e nada encontrou. Na lista abaixo, preservamos o número de CPF e CNPJ dos citados. Estão todos no inquérito da PF.

 

 

 

 

2 comments

  • […] A Rio Vermelho Distribuidora Ltda recebeu R$ 60 mil da Alberto & Pantoja. Aparentemente é parte dos R$ 450 mil doados para a campanha de Marconi Perillo (PSDB), e de R$ 30 mil doados para a campanha para deputada federal da vereadora de Anápolis Miriam Garcia Sampaio Pimenta (PSDB). Isso foi no caixa-1, na prestação de contas oficial das campanhas. Há outras suspeitas as mais diversas a serem apuradas. A presença destes políticos na rota do dinheiro já era previsível. Surpresa é o que faz na lista de pagamentos de uma empresa tida como fantasma e ligada ao esquema de Cachoeira, o escritório Morais Castilho e Brindeiro, do ex-procurador geral da República no governo FHC, Geraldo Brindeiro. Isso é apenas uma pequena amostra do que vem por aí. Mas já explica o desespero dos tucanos quando tentaram pautar a CPI para não seguir esse caminho do dinheiro sujo, e desviar a atenção para outras bandas, antes da hora. É coisa de “171″ para afastar as investigações da “cena do crime”. (Com informações da Coluna Esplanada) […]

  • Maria José dos Santos Rêgo

    Deveria ter a opção “Compartilhar” no seu blog..

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Input your search keywords and press Enter.