Brasília -
loader-image
Brasília, BR
4:07 pm,
temperature icon 26°C
céu limpo
Humidity 34 %
Wind Gust: 0 Km/h
16 de julho de 2024 - 16:07h
Parceiros
Brasília - 16 de julho de 2024 - 16:07h
loader-image
Brasília, BR
4:07 pm,
temperature icon 26°C
céu limpo
Humidity 34 %
Wind Gust: 0 Km/h
Parceiros

A ex-Kombi evangélica convertida a eco-choperia de primeira

Kombi chopeira do jornalista Renato Sigiliano (Crédito: Divulgação)
#compartilhe

Por Isabele Mendes, da equipe da Coluna

O jornalista Renato Sigiliano é um exemplo do estereótipo que o bordão popular eterniza nas ruas: teve filho, plantou árvores (milhares) e abriu um bar (ops, não seria escreveu um livro?). Quem conhece sua trajetória de comunicador a gestor ambiental e mestre cervejeiro, recentemente, crava que o livro será questão de tempo. Ele tem uma história fascinante para nos contar nessa rota. A cerveja que criou, a Kombi que a transporta, e no meio do caminho uma ação ambiental inédita.

Sigiliano compartilha uma história curiosa sobre a transformação de uma Kombi de igreja em uma cervejaria itinerante. Antes, vamos falar da cerveja. Após imersão dedicada ao tema, ele lançou a Beerlisario – um neologismo que uniu o nome da cidade de água pura na serra mineira (Belisário, distrito de Muriaé) com a nomenclatura da cerveja na língua inglesa. Tão criativo nome quanto de boa qualidade, conforme testemunhas ouvidas pela reportagem, a cerveja desce saborosa ao som da história sobre o seu transporte.

Com a indenização que recebeu do finado Jornal de Brasil – foram anos lá na redação da Av. Brasil – Sigiliano comprou uma Kombi que transportava evangélicos para os cultos de uma igreja Semeando Vida. Agora, semeia lúpulo, literalmente. Conta aos risos que é a primeira Kombi convertida do mundo. E, claro, faltava o nome bem pertinente, a Kombeerlisario. E ela bebe para caramba, creiam. Faz uns 8km por litro, e carrega algumas centenas de litros de chope nos barris internos que se abrem em torneiras quando estaciona.

O jornalista Renato Sigiliano (Crédito:Divulgação)

“Brincamos que ela estava entediada de transportar fiéis e agora se diverte muito mais semeando cerveja pelo mundo”, diz o cervejeiro. Adaptado para servir chope, o veículo virou uma microcervejaria ambulante, levando o produto artesanal a feiras, praças, festas e exposições Minas Gerais adentro. Além de pegar o volante, ele bate ponto na Kombeerlisario Garage Brewpub, num bairro de Muriaé, onde recebe amigos e apresenta os variados sabores.

Escrevemos acima que Sigiliano também é gestor ambiental, uma paixão antiga, que o levou a lecionar sobre o tema. Não deu outra. Outro insight celebrado do jornalista-ambientalista-cervejeiro agora faz sucesso na cidade. Ele reaproveita o gelo derretido dos barris para uma ação ambiental inédita nas ruas e às margens da BR 356 que corta o município. “Utilizamos o gelo derretido que esfria o chope para regar mudas de árvores na região”.

Renato Sigiliano diz que já plantou 14.400 árvores nesta vida. O mundo agradece. Os apreciadores de cerveja e as mudas também.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.