Now Reading:
CPI já vira caso de polícia dentro da Câmara

CPI já vira caso de polícia dentro da Câmara

Da coluna desta quarta, 18

 Atualização 12h15 – A CPI mista do Cachoeira nem começou mas já pega fogo nos bastidores – em especial, nos corredores da Câmara. Um roteiro com ingredientes  de cena policial ganhou o sétimo andar do Anexo 4 da Casa. Indignados com um cartaz pró-CPI da Privataria Tucana na porta do gabinete do deputado federal  Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), delegado licenciado da PF e entusiasta da instalação das comissões, dois deputados tucanos arrancaram o cartaz da porta e jogaram no  chão, irados. Tratam-se de ninguém menos que o presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), e o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN).  Protógenes só soube quando pediu ontem à Polícia Legislativa o vídeo do circuito interno de TV do corredor. Mas não prestou queixa à Mesa Diretora.

Constrangido e incrédulo, Protógenes não procurara, até ontem à noite, os parlamentares para pedir explicações. Um assessor acompanhava  os deputados na hora do ‘ataque’.

Pelo vídeo e sequência de fotos, fica clara a atuação do trio na porta fechada do gabinete do deputado, durante o dia. Guerra indica e Marinho  puxa o cartaz. 

Procurada pela coluna, a assessoria de Guerra ainda não se pronunciou.O deputado Marinho reconheceu que tirou o cartaz e disse que foi um “ato político”, e que isso aconteceu há algumas semanas, embora Protógenes tenha tido acesso aos vídeos ontem. Lamentou que os deputados colem nas portas cartazes “de ataques institucionais”, como o que considerou o do deputado comunista.

 Leia a íntegra da coluna nos jornais

 

13 comments

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Input your search keywords and press Enter.