Brasília -
loader-image
Brasília, BR
8:30 pm,
temperature icon 22°C
céu limpo
Humidity 60 %
Wind Gust: 0 Km/h
19 de junho de 2024 - 20:30h
Parceiros
Brasília - 19 de junho de 2024 - 20:30h
loader-image
Brasília, BR
8:30 pm,
temperature icon 22°C
céu limpo
Humidity 60 %
Wind Gust: 0 Km/h
Parceiros

Especialista em cidadania italiana alerta para a “fraude da residência”

Rafael (E) e Rodrigo, os irmãos proprietários da Cidadania4U
#compartilhe

A polêmica operação policial na Itália nesta segunda-feira, que cercou uma dupla que facilitava a obtenção de cidadania italiana para brasileiros, caiu como uma bomba aqui no Brasil – em especial por envolver nomes de famosos como o apresentador de TV Rodrigo Faro, que já soltou nota se defendendo.

Rafael Gianesini, CEO Da Cidadania4u, maior empresa de cidadania europeia da América Latina, explica que o caso envolvendo o ator apresentador e sua esposa parece ser a clássica “fraude de residência”.

“Basicamente, na Itália, você só pode reconhecer a cidadania onde você vive. Se eu moro em São Paulo, tenho que reconhecer no Consulado de São Paulo. E se por acaso me mudo para a Itália e vou morar lá, é preciso reconhecer na comune aonde eu vivo. Isso é muito importante, porque, por exemplo, aqui no Consulado de São Paulo, demora em média 12 anos. Já na Embaixada de Brasília, demora oito anos para reconhecer. Mas você é obrigado a morar lá, você tem que colocar comprovante de residência e tudo mais. E algumas comunes na Itália são muito rápidas”.

Gianesini explica que, enquanto falamos em 10 a 12 anos de demora no processo aqui no Brasil, uma residência comprovada na Itália para o requerente pode reduzir o processo para 90 a 120 dias, apenas.

“Esse golpe, essa fraude que acontece geralmente assim,: as pessoas não moram lá. Em muitos casos, os indivíduos sequer vão lá. Então, é como se esses clientes tivessem um contrato de aluguel fixo de residência, mas na verdade não têm. Somente passam alguns dias (para a verificação de uma autoridade in loco) e depois vão embora; ou seja, simulam situações de como essas pessoas estivessem no local.

O especialista explica que os brasileiros flagrados neste tipo de fraude lá podem perder de imediato a cidadania, e responder à Justiça do país. Mas futuramente, em se provando o parentesco com ascendente italiano, e toda a documentação estiver correta, poderá tentar novamente obter o documento.

Gianesini ainda reforça que existe uma maneira responsável de evitar isso que é fazer todos os trâmites pelas vias legais, validar se realmente a empresa que vai fazer o processo de cidadania existe, não assinar nenhum documento com dados que não são verdadeiros, entre outros pontos.

“Infelizmente, muitos clientes nem sabem que essa falsificação acontece. Essa questão de fingir residência tem sido muito recorrente e causando alguns transtornos na efetivação do processo da cidadania italiana”, explica.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.