Brasília -
loader-image
Brasília, BR
9:52 am,
temperature icon 19°C
céu limpo
Humidity 59 %
Wind Gust: 0 Km/h
17 de julho de 2024 - 9:52h
Parceiros
Brasília - 17 de julho de 2024 - 9:52h
loader-image
Brasília, BR
9:52 am,
temperature icon 19°C
céu limpo
Humidity 59 %
Wind Gust: 0 Km/h
Parceiros

Governo paga R$ 3,6 bi ao “Bolsa-Presidiário” em seis anos

Foto: Reprodução/Agência Brasil
#compartilhe

O Brasil é um país pitoresco. Dentre tantos setores atingidos com cortes por causa da pandemia do Covid-19, uma rubrica do Governo não sofreu um centavo de contingenciamento, tampouco alteração na lei para alívio nos cofres: o auxílio-reclusão, o famigerado “Bolsa-Presidiário”. Nos últimos seis anos, o Governo bancou estupendos R$ 3,6 bilhões para benefícios mensais pagos a familiares de detentos.

É de uma lei de 1960 e amparado numa lógica que afronta o cidadão de bem: para ser beneficiário, o criminoso precisa ser de baixa renda (teto de ganho de R$ 1.503,25 por mês), e ter contribuído com o INSS nos 24 meses antecedentes à prisão em regime fechado – os bandidos fazem planejamento cientes de que terão a verba pública para a família em caso de “cana”.

O Ministério do Trabalho teve execuções financeiras vultosas e crescentes desde 2015: De R$ 452 milhões a R$ 630 milhões, em 2019. Em 2020 houve queda não explicada, para R$ 471 milhões; e até outubro, foram pagos R$ 321 milhões.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.