Brasília -
loader-image
Brasília, BR
8:36 am,
temperature icon 18°C
céu limpo
Humidity 77 %
Wind Gust: 0 Km/h
22 de maio de 2024 - 8:36h
Parceiros
Brasília - 22 de maio de 2024 - 8:36h
loader-image
Brasília, BR
8:36 am,
temperature icon 18°C
céu limpo
Humidity 77 %
Wind Gust: 0 Km/h
Parceiros

Políticas de redução de danos ao tabagismo podem salvar 1,3 milhão de vidas

Foto: Eva Hambach/AFP
#compartilhe

Mais de 1.3 milhão de mortes prematuras causadas pelo tabagismo poderiam ser evitadas no Brasil até 2060, segundo dados publicados na pesquisa Lives Saved Brazil, da plataforma “Quit Like Sweden”.

O estudo leva em consideração a aplicação de políticas de redução de danos, que incluem o uso de alternativas de menor risco para os adultos fumantes, como os cigarros eletrônicos, e um aprimoramento do diagnóstico e tratamento precoce de câncer do pulmão.

De acordo com a pesquisa, o uso de alternativas menos danosas para o consumo de nicotina e a regulamentação desses produtos pelo governo brasileiro são ações que poderiam ajudar a salvar milhares de vidas e melhorar os índices de tabagismo no país.

O material tem como referência a Suécia, país que está próximo de se tornar o 1° do mundo livre do tabagismo, segundo a Organização Mundial da Saúde. O sucesso da estratégia sueca vem de um modelo que combina medidas de controle do tabagismo com a oportunidade para que adultos fumantes de cigarros convencionais façam a troca por alternativas de menor risco, como os vapes por exemplo.

No Brasil, a regulamentação dos cigarros eletrônicos está em debate na Anvisa por meio de uma consulta pública que mostrou que 59% da população não está de acordo com a atual norma de proibição.

No Senado, também tramita o projeto de lei 5008/2023, de autoria da senadora Soraya Thronicke (Podemos – MS), que prevê regras rígidas para a produção, comercialização, fiscalização e propaganda dos dispositivos no Brasil.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.