Now Reading:
Petrobras: diretores driblam relações com empresas enroladas na Lava Jato

Petrobras: diretores driblam relações com empresas enroladas na Lava Jato

Diretores da Petrobras têm pisado em barris quentes para driblar suas relações pessoais fora da petroleira e com empresas enroladas na Lava Jato. Aprovada pelo Conselho da petroleira na Ata 159 de 1º de março, desde então a diretora de Refino e Gás Natural, Anelise Quintão, se vê questionada porque seu irmão, Ricardo Quintão Lara, é dono da Rilsan Engenharia, ligada à enrolada UTC, em leniência no processo por pagar propinas.

Na Ata, ficou claro que ela deve se abster de votar e ou opinar em caso de a empresa do irmão ou qualquer outra ligada a ele tiver contratos com a Petrobras. Caso semelhante à amiga e também diretora Ana Lúcia Poças Zambelli – que na mesma reunião se disse sob suspeição para votar, por ter gerenciado empresas fornecedoras da Petrobras.

Ana Lúcia Poças Zambelli, que admitiu amizade com a diretora, foi vice-presidente da Maersk Drilling e presidente na América do Sul da Transocean, duas delatadas na Lava Jato. Ricardo Lara, irmão de Anelise, voltou a ser contratado da UTC, informou a empreiteira à nossa reportagem.

Em nota à Coluna, a Petrobras informa que a nomeação da diretora “Anelise Quintão  Lara atende a todos os requisitos de Governança e Conformidade”, e “foi  objeto de profunda análise pelo Comitê de Pessoas”.

Também informou que, a despeito dos “laços  de  parentesco  da  diretora com membro da administração das empresas Rilsan Engenharia e UTC, constatou-se que não há contratos  vigentes  com  as  referidas”.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Input your search keywords and press Enter.