Brasília -
loader-image
Brasília, BR
5:45 pm,
temperature icon 28°C
nuvens dispersas
Humidity 42 %
Wind Gust: 0 Km/h
14 de abril de 2024 - 17:45h
Parceiros
Brasília - 14 de abril de 2024 - 17:45h
loader-image
Brasília, BR
5:45 pm,
temperature icon 28°C
nuvens dispersas
Humidity 42 %
Wind Gust: 0 Km/h
Parceiros

Satélite foi para o espaço.. e levou R$ 300 mi

#compartilhe

O governo terá dificuldades de mapear o desmatamento no Brasil nos próximos anos. Uma trapalhada sino-brasileira mandou para o espaço, literalmente, R$ 300 milhões investidos pelo Brasil no Satélite Chinês-Brasileiro de Vigilância Remota, lançado na madrugada de ontem, na China. O Cbers-3 teve problemas no foguete, não entrou em órbita e cairá em algum ponto da Terra. Além de gastar para fabricar o quarto aparelho, já contratado, o governo ficará refém de aluguel milionário de satélites de outros países.

Fora de órbita. Em Pequim para comemorar o lançamento, os ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Marco Raupp (Ciência e Tecnologia-MCT) sumiram do mapa.

Mapeamento. Segundo o MCT, o satélite faria ‘zoneamento agrícola e acompanhamento de alterações da cobertura vegetal’ na Amazônia. Ajudaria o Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Mais gastos. O MCT soltou nota discreta. O MMA finge que não é com ele. Mas todos perdem. Com o nacional em órbita, o governo teria economia futura de compra de imagens.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.